x
Atualizado em 03.06.2018 às 23:29

Entretenimento

Web gourmet

Conheça uma cachaça inusitada, com Jambu

Publicado em 18.04.2018, às 15h30

Atualizado em 03.06.2018, às 23h29

O jambu proporciona uma novidade na degustação. A salivação também é estimulada
Foto: Eduardo Gazal

Por Eduardo Gazal

A WebGourmet visitou o "Salão Internacional de Bebidas", evento que aconteceu na primeira semana de abril, no RioMar Shopping, em Recife. A edição 2018 foi uma fusão do Salão Internacional da Cachaça - já realizado em anos anteriores - com as cervejarias artesanais e outras empresas do segmento. Em várias publicações futuras, estaremos mostrando as novidades e curiosidades encontradas no Salão Internacional. E foram muitas. Nesta edição, vamos destacar o alquimista do Pará que elabora bebidas alcoólicas mistas, tendo como base a cachaça.

Cachaça "Meu Garoto" com jambu e outros ingredientes do Norte do Brasil

Conversei com Leo Porto, criador da cachaça. Entusiasmado, ele conta que começou com o bar chamado "Meu Garoto", na região central de Belém, 24 anos atrás. Criava receitas de cachaças artesanais com sabores diferentes, inclusive algumas misturas tradicionais na região Nordeste, onde as "canas temperadas" são muito famosas.

Mais recentemente, por volta de 2011, elaborou uma mistura de cachaça com a flor do jambu, espécie vegetal típica do Pará. A cachaça se transformou na principal atração do boteco. Atualmete são produzidas outras variações com adição de elementos da culinária amazônica. A bebida recebeu o nome de "Meu Garoto Jambucy". É apresentada com adição de açaí, cupuaçu, castanha-do-pará e bacuri.

Provando as cachaças, comprovei que o alquimista tem razão. Por isso recomendo que os apreciadores e colecionadores procurem conhecer as cachaças de Leo Porto. Algumas características são marcantes na bebida e devem ser observadas: a cachaça de jambu deixa uma dormência prolongada na boca e nos lábios. Um sabor salgado no final da degustação também é notado. A salivação é estimulada.

Também denominada agrião-do-pará, o jambu está presente em diversos pratos e até em bebidas na culinária paraense. A dormência nos lábios deixada pelas flores do vegetal desperta um sentido saboroso e nada comum durante a degustação

As cachaças na versão "Jambucy" remetem à lembrança dos licores caseiros. O teor alcoólico é de 28%, menor do que os 38% da versão tradicional. Leo Porto utiliza algumas frases que identificam suas cachaças, são elas:
- A união da cachaça ao jambu criando uma inesquecível experiência alcoólica.
- Euforia inesquecível, tremor ao paladar!

Sobre o Jambu (Spilanthes oleracea L.)

Nos últimos anos, a hortaliça conquistou mercados nacionais e internacionais

Nos últimos anos, a hortaliça conquistou mercados nacionais e internacionais Foto: Embrapa/Internet

Também denominada agrião-do-pará, o jambu é par perfeito com o tucupi e está presente em diversos pratos e até em bebidas na culinária paraense. A dormência nos lábios deixada pelas flores do vegetal desperta um sentido saboroso e nada comum durante a degustação.

 Nos últimos anos, a hortaliça conquistou mercados nacionais e internacionais, porém sua produção está concentrada em pequenas propriedades próximas à capital paraense (Belém), principalmente, nos municípios de Santo Antônio do Tauá, Santa Izabel e Ananindeua.

Descoberta pelos indígenas amazônicos, a hortaliça foi fonte de estudos da Embrapa Amazônia Oriental por muito tempo. Trabalhos de identificação de espécies, melhoramento genético (coleta e seleção de plantas visando resistência as doenças) e adubação foram realizados.

Cachaça foi degustada no Salão Internacional de Bebidas

Cachaça foi degustada no Salão Internacional de Bebidas Foto: Eduardo Gazal

Atualmente, a Embrapa já planeja novas pesquisas. A reclamação dos consumidores é que o produto tem reduzido a sua principal característica: a dormência. Daí, a importância de estudos na Amazônia para melhorar a qualidade dos produtos, aumentar a produção agrícola na região e gerar renda aos produtores

Fonte: Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Web gourmet Eduardo Gazal pós-­graduado em Gastronomia Brasileira e ainda um cozinheiro por paixão!. eduardogazal@gmail.com

Continue Lendo

Compartilhe

*/ ?>
Voltar para o topo